01 out , 2010
SEX
fora de cena Sopros Trigo Limpo teatro ACERT
Duração
50 minutos
01 out , 2010
SEX

fora de cena

Duração
50 minutos

Calendarização

01 out
sex
21:45
Tondela  (Novo Ciclo ACERT)

Sopros

Trigo Limpo teatro ACERT

Embalados pela música e pelas palavras, um homem e uma mulher contam-nos uma história sobre a vida, assente na ideia de que ”Uma vida só tem história do princípio para o fim, se a tiver do fim para o princípio.” Misturam o sopro de vida e o sopro da morte e abrem o baú das recordações. Começam por falar das recordações mais recentes e caminham para as mais antigas, do tempo em que eram ainda crianças. Recordam a morte, o sofrimento e a solidão, depois a velhice alegre cheia de tagarelice, e vão recuando no tempo, recordando o namoro, as danças apaixonadas e as brincadeiras de infância.

Assim, esta história é uma viagem pelo universo poético em que celebramos a vida, com a certeza de que “Somos da terra e a terra é nossa”.

Ficha técnica e artística

Textos
”A criação segundo os Sioux” (adaptado)
“O que diz a Morte” (Antero de Quental)
“Fragmento 88” (Bernardo Soares)
“Testamento” (Ana Luísa Amaral)
“Para Sempre” (Carlos Drummond de Andrade)
“A vida e a morte” (Florbela Espanca)

Canções
“Sopros” (César Prata/Sandra Santos)
“Meu pai, meu pai” (César Prata — a partir de pranto fúnebre recolhido por M. Giacometti em Várzea, Soajo)
“Boa noite, amor” (J.M. Abreu e F. Matoso)
“Dorme, dorme, meu menino” (Tradicional — recolhida por Leite de Vasconcelos em Cercosa, Viseu)
“Dorme, dorme, meu menino” (Tradicional — Castanheira, Guarda)
“Senhora D. Anica” (Tradicional)
“Era uma vez um cavalo” (Tradicional)
“Larau, larito” (Tradicional)
“Dorme meu querido” (Excerto de "A Venerável Tia Baptista do Ceo Custódio, Assombros da vida e morte prodigiosa"- 1679/César Prata)
“O que é a vida e a morte” (Florbela Espanca/César Prata)

Dramaturgia: César Prata e Sandra Santos
Direcção Artística: César Prata e Sandra Santos
Assistente de direcção: Paulo Neto
Intérpretes: César Prata e Sandra Santos
Música: César Prata
Desenho de luz: Paulo Neto
Figurinos: José Rosa
Costureira: Svetlana Molchanova
Cenografia: Colectiva
Carpintaria: Carmosserra
Design gráfico: Zé Tavares
Fotografia: Carlos Fernandes e Carlos Teles
Registo vídeo: Zito Marques
Produção: ACERT, 2010
Agradecimentos: Cláudia Barato; Fernando Paz; Filipa Alexandre (Teatro e Marionetas de Mandrágora); Jorge Santos; Rute Ramos e a toda a equipa da ACERT.

Estreia: 1 de Outubro de 2010, ACERT, Tondela


Galeria de imagens