05 mai , 2018
SÁB
fora de cena Sentada no escuro Trigo Limpo Teatro ACERT A memória enquanto ficção no novo espetáculo do Trigo Limpo, a partir de António Lobo Antunes
Classificação
Maiores de 12
Duração
70 minutos
05 mai , 2018
SÁB
A memória enquanto ficção no novo espetáculo do Trigo Limpo, a partir de António Lobo Antunes

fora de cena

Classificação
Maiores de 12
Duração
70 minutos

Calendarização

05 mai
sáb
21:30
  (Auditório Municipal de Cinfães)
10 mar
sáb
21:30
Castro Daire  (Teatro de Montemuro)
03 mar
sáb
21:30
Guarda  (Teatro Municipal da Guarda)
10 fev
sáb
21:30
Montemor-o-Novo  (Teatro C. Semedo)
04 fev
dom
17:00
Palmela  (Vale dos Barris)
03 fev
sáb
21:30
Palmela  (Vale dos Barris)
27 jan
sáb
21:30
Lisboa  (Escola de Mulheres)
26 jan
sex
21:30
Lisboa  (Escola de Mulheres)
01 dez
sex
21:45
Tondela  (Auditório 2)
30 nov
qui
21:45
Tondela  (Auditório 2)

Sentada no escuro

Trigo Limpo Teatro ACERT

Neste espetáculo vamos contar a história de uma mulher de 78 anos que veio de Faro para Lisboa quando ainda era nova, para ser atriz. Ali chegará a ter uma carreira, acidentada, até que começa a perder a memória. De umas brancas que motivam o seu despedimento até um poético e solitário existir interior, há todo um percurso de degenerescência onde as recordações se baralham, criando uma narrativa ficcional substituta da própria realidade. E é essa a narrativa do espetáculo. O que se passa na cabeça daquela mulher. A maneira como ela vê a fase terminal da sua vida.

Este é o segundo trabalho que o Trigo Limpo teatro Acert faz a partir de António Lobo Antunes. Já em 2000 construímos “Cadeiras”, um cruzamento de partes da sua obra.

Agora voltamos a ele porque estamos certos de que António Lobo Antunes descreve como ninguém personagens fulcrais da nossa portugalidade.

Ficha técnica e artística

Texto a partir de “Para Aquela Que Está Sentada No Escuro À Minha Espera” de António Lobo Antunes
Dramaturgia e encenação: Pompeu José
Interpretação: António Rebelo, Ilda Teixeira, Pedro Sousa, Raquel Costa e Sandra Santos
Cenografia: Zé Tavares e Pompeu José
Música: Gustavo Dinis e Uhai
Figurinos: Adriana Ventura
Vídeo: Alberto Plácido
Desenho de luz: Paulo Neto
Sonoplastia: Luís Viegas
Design gráfico e fotografia: Zétavares
Assistência: Ricci-Li Alexandre, Iván Dávila Grande e Deolindo Pessoa
Produção: Marta Costa e Rui Coimbra
Agradecimentos: Carmoserra e Araufer

Classificação etária: M/12
Duração: 70 min.


Galeria de imagens