21 mar , 2014
SEX
fora de cena Pessoa - o grande ausente Trigo Limpo Teatro ACERT Uma noite de memórias que assinala um encontro de casualidades com a obra de um dos mais consagrados autores da língua portuguesa.
21 mar , 2014
SEX
Uma noite de memórias que assinala um encontro de casualidades com a obra de um dos mais consagrados autores da língua portuguesa.

fora de cena

Calendarização

21 mar
sex
Tábua  (Centro Cultural de Tábua)
14 nov
qui
Lisboa  (Teatro Nacional D. Maria II - Sala Estúdio)
13 nov
qua
Lisboa  (Teatro Nacional D. Maria II - Sala Estúdio)
06 nov
qua
Tondela  (Auditório 2)
05 nov
ter
Tondela  (Auditório 2)
05 mai
sáb
Carregal do Sal  (Mostra "Palco para 2 ou menos", Oliveirinha)
08 fev
qua
Viseu  (Escola Secundária de Alves Martins, Viseu)
05 fev
dom
até
06
FEV
SEG
Viseu  (Escola Secundária de Alves Martins, Viseu)
28 out
sex
Mortágua  (Cine Teatro de Mortágua)
20 out
qui
até
21
OUT
SEX
Coimbra  (Oficina Municipal de Teatro - O Teatrão, em Coimbra)
18 fev
sex
Serpa  (Cineteatro Municipal de Serpa)
19 jun
sáb
Penela  (Auditório Municipal de Penela)
27 mar
sáb
Tondela  (Auditório 1)
18 mar
qui
até
19
MAR
SEX
Tondela  (Auditório 1)

Pessoa - o grande ausente

Trigo Limpo Teatro ACERT

O Trigo Limpo teatro ACERT presta uma merecida e desconcertante homenagem a um dos mais importantes poetas mundiais.O espectáculo é construído a partir de textos de Fernando Pessoa mas refaz o seu universo interior ao inventar um novo lugar, uma nova situação e novas personagens para os interpretar.

Já por várias vezes nos cruzámos com a obra deste autor mas nunca, até agora, tínhamos mergulhado tão fundo na sua escrita.
Pretendemos mostrá-lo de uma forma particular mas, sem com isso, lhe retirar a sua universalidade. Queremos que seja muito nosso sendo do Mundo.Que fale por cada um de nós para todos os outros.
É noite de S. António.Duas velhotas chegam ao Cais das Colunas com o manequim de um homem. Pelos vistos consideram aquele local o mais apropriado para o ritual que pretendem realizar. Celebram o santo popular mas também os seus próprios aniversários. Fazem-no de noite pois a luz do dia fará desaparecer a magia dos sonhos. E acordará em cada uma delas a sua própria individualidade. E essa será mais difícil de partilhar com os outros. Usando sempre e só palavras do autor vão rememorando o seu próprio passado. Ou reinventando-o ou até talvez sonhando um novo como tão bem fez o Marinheiro. Elas sabem-no. E enquanto o dia nasce à beira-rio, viajam pelas suas memórias na companhia daquele estranho homem. São Pessoas que acabam por ficar sozinhas consigo próprias, frente ao mar, na celebração de uma portugalidade ancestral que habita cada um de nós.

Ficha técnica e artística

Texto a partir da obra de Fernando Pessoa
Encenação Pompeu José e Raquel Costa
Interpretação Ilda Teixeira e Sandra Santos
Dramaturgia Ilda Teixeira, Pompeu José, Raquel Costa e Sandra Santos
Cenografia Marta Fernandes da Silva e Zétavares
Música Lydia Pinho
Desenho de Luz Luís Viegas
Figurinos José Rosa
Operação de Luz e Som Luís Viegas e Paulo Neto
Músicos em estúdio Lydia Pinho, Pedro Fernandes e Cristiano Sá e Miguel Cardoso
Gravação em Estúdio e Masterização Cajó Viegas
Serralharia Rui Ribeiro
Carpintaria Carmosserra
Latoaria Eduardo Coelho
Fotografia Carlos Fernandes
Desenho Gráfico Zétavares
Registo vídeo Zito Marques
Agradecimentos João Nascimento, Musifesta, Néné, Rita Nobre, Sérgio Moras e Tondelgráfica
Produção Trigo Limpo teatro ACERT


Galeria de Imagens