03 abr , 1999
SÁB
fora de cena Vais Rebentar - 1999 Queima e Rebentamento do Judas
03 abr , 1999
SÁB

fora de cena

judas

Calendarização

03 abr
sáb
Tondela  (Escola Preparatória de Tondela)

Vais Rebentar - 1999

Queima e Rebentamento do Judas

Vais rebentar!...
Judas Preparação Todos os anos, no sábado de Aleluia, milhares de pessoas se juntam para assistir à queima do Judas e, de alguns anos a esta parte, o TRIGO LIMPO e a ACERT têm vindo a manter viva esta tradição e têm desenvolvido uma proposta que tem sido construí- da como um espectáculo de rua envolvendo um número cada vez maior de participantes.
Este ano, uma vez mais, pretendemos levar à cena, a 3 de Abril,, o ritual da queima sob o mote “Vais  rebentar!...”.
Para a construção do espectáculo o TRIGO LIMPO e a ACERT vão abrir Oficinas e Fábrica da Queima.

Oficinas
“caminhar em andas”, “guitarras eléctricas”, “percussão” “esculturas de papel”, “Fábrica de Queima”.
Com início a 27 de Março, dia Mundial do Teatro, e terminando com o espectáculo “Vais rebentar!...”, na noite de 3 de Abril, temos um período de construção e ensaios estando todas as oficinas sempre a funcionar.

JUÍZ – Como é do conhecimento geral, estamos aqui para julgar, acusar, sentenciar e condenar este sacripanta convicto, verme rastejante, traidor assumido que, com o maior desplante passou o ano inteiro inventando, arquitectando e mesmo executando as mais vis desgraças que nos aconteceram num passado recente e que nos continuam atormentando nos dias que correm. As acusações que aqui irão ser feitas não demonstram as enormidades das maldades feitas pelo canalha, sendo pequenos exemplos da sua ranhosice, trafulhice, trapaceirice que o colocam como um dono da bola sem vergonha, um melga espicaçante, um turíbio pedaço de asno sempre apostado em nos encanzinar a existência.
ACUSADOR 1: Porque se acabou a paciência E não te queremos aturar.
Por tudo o que a seguir for dito e muito mais,
Tem que ser... Vais rebentar!
ACUSADOR 2: Porque começaste a pôr as tripas ao sol ao pessoal lá no Kosovo, e não contente com isso, arranjaste maneira de começar também a por as tripas ao sol aos que punham as tripas ao sol aos outros.
E porque está provado que tu gostas mesmo é de ver o pessoal com a tripalhada de fora ao sol a apanhar ar com os comerciantes de armas a rirem-se e a fazerem cimeiras de paz.
Um pulhita que assim faz Não se pode acomodar Pelo que faremos um dever ao exigir...
Vais rebentar!
CORO – (canta)
ACUSADOR 3: Tu que transformaste as tascas Tondelenses em agências bancárias, impedindo que a Marranica, O Rogério Colher, A Maria do Jorge pudessem continuar a distribuir o néctar do Baco e, em lugar disso, colocaste o Banco Espírito Santo, O Português de Investimento, O Santander, O Comercial Português, O BPA, O BNU, O Melo, que: em vez de meio quartilho de tinto, nos oferecem dinheiro a crédito putrificado, que nos faz desaparecer o salário, antes de recebido. Porque as cepas das videiras são muito mais importantes do que as caixas multibanco, não nos irás mais enganar.
Por isso, vamos gritar-te: Desta vez...
Vais rebentar!
ACUSADOR 4: (canta)
Tu que nos queres dar o Euro para que os nossos bolsos tilintem iguais aos dos outros países. Tu que deixas que a circulação de produtos se faça livre, custando uma batata os mesmos euros, tanto para nós como para os outros europeus…
Não nos fazes é esquecer que, enquanto, uns têm o bolso a abarrotar de euros, muitos outros continuam a EUROpoupar, dando cambalhotas em cima das migalhas que sobram das eurocracias.

E porque para nós, com escudos ou com euros,
Só nos resta trabalhar
Pelas mentiras que nos contas, tem que ser...
Vais rebentar!

execerto do texto “Vais Rebentar”

Ficha técnica e artística

Apresentação única 3 de Abril de 1999, Escola Preparatória de Tondela

Direcção Pompeu José
Música Fran Perez
Coordenação de produção Miguel Torres
Construção, montagem e fogo Fernando Ribeiro, José Tavares, Luís Viegas, Pompeu José
Desenho gráfico José Tavares
Coordenação de interpretação Carla Torres, José Rui Martins
Coordenação de percussão Acácio Salero
Coordenação de figurinos José Rosa
Coordenação de guitarras Carlos Peninha, Fran Perez
Coordenação de movimento Catarina Trota
Coordenação de andas Wilma Moutinho
Pirotecnia Pirotecnia de Lafões
Fotografia Paulo Leão
Secretariado Irene Pais Marta Costa
Carpintaria Sílvio Neves
Serralharia Rui Ribeiro
Logística e transportes Hugo Torres
Percussões Acácio Salero, Afonso Duarte, Alessandra Sousa ,Alice Estrela, Ana Costa, Carlos Lima ,Celso Chaves, Helena Malaquias, Ivone Ferreira, Luís Dias, Maria da Conceição Ferreira, Orlando Agostinho, Ricardo Duarte, Simão Maia, Tiago Brandão, Tony Rebelo, Xana Monteiro e Rita Matos
Guitarras Carlos Peninha ,Daniel Morgado ,Fran Perez ,Hugo Coimbra, Hugo Torres, Jorge Filipe, José Eduardo, José Manuel Marques, Luís Figueiredo, Nuno Fernandes e Renato
Cantora Mariana Abrunheiro
Actores Adriana Ventura, Alberto Carvalhal, Alcindo, Alexandra Matos, Ana Lara, Ana Machado, Ana Patrícia Santos, Ana Raquel, Andreia Amara, Andreia Nisa, Ângela Pereira, Ângela Trindade, António Gouveia, Bruno Gonçalves, Carla Almeida, Carla Santinha, Carla Saraiva ,Carlos Jorge Coimbra, Carlos Jorge Viegas, Carlos Milton ,Carlos Silva, Catarina Trota, Clara Lopes, Cláudia Andrade, Diogo Porfírio, Elisa Carlota, Fernanda da Costa, Frederico Gomes, Gill Rodrigues, Helena Matutina, Isabel Sousa Ramos, Joana Lobão, Joana Macias, João Correia, João Monteiro, João Oliveira, José Rui Martins, Luís Miguel Marque,s Luís Rodrigues, Margarida Coimbra, Margarida Teixeira, Maria Almiro, Maria Simões, Micaela Ferreira, Miguel Torres, Nádia Soares, Nuno Ramos, Patrícia Ramos, Paulo Mendes, Rita Gouveia ,Rosário Dias, Ruy Malheiro, Saulo Araújo, Simão Martins, Sofia Cruz, Susana Matos, Susana Santos, Tânia Lopes, Vanessa Nunes, Verónica Marques, Wilma Moutinho.


Galeria de Imagens