07 mar , 2012
QUA
fora de cena Circonferências Interiores III O Trigo Limpo teatro Acert apresenta circOnferências, a sua 81ª produção teatral, baseada em Conferências do Sr. Eliot de Gonçalo M. Tavares e Dicotomias de Hélia Correia, com interpretação de Ilda Teixeira e Pompeu José. É o terceiro espectáculo d
07 mar , 2012
QUA
O Trigo Limpo teatro Acert apresenta circOnferências, a sua 81ª produção teatral, baseada em Conferências do Sr. Eliot de Gonçalo M. Tavares e Dicotomias de Hélia Correia, com interpretação de Ilda Teixeira e Pompeu José. É o terceiro espectáculo d

fora de cena

Calendarização

06 mar
ter
até
07
MAR
QUA
Viseu  (Escola Secundária de Alves Martins, Viseu)
07 mar
qua
Viseu  (Escola Secundária de Alves Martins, Viseu)
02 dez
sex
Valongo  (Festival MIT - Centro Cultural de Campo, em Valongo)
19 nov
sáb
  (Festival Teatro em Construção, em Joane)
22 out
sáb
Tondela  (Auditório 2, Novo Ciclo ACERT)
22 set
qui
Leiria  (Festival Acaso - Teatro Miguel Franco, em Leiria)
20 ago
sáb
Castro Daire  (Festival Altitudes - Teatro de Montemuro, em Montemuro)
13 mar
dom
  (Audit. Caso do Povo da Camacha (Madeira))
15 jan
sex
  (Cine Teatro de S. Pedro do Sul)
21 nov
sáb
Serpa  (BAAL Serpa)
17 nov
ter
Portalegre  (Festival de Teatro de Portalegre)
05 out
seg
Carregal do Sal  (Naco - Oliveirinha)
05 jun
sex
até
06
JUN
SÁB
Porto  (Teatro Helena Sá e Costa - Porto)
15 mai
sex
  (GICC - Covilhã)
01 mai
sex
Lousada  (Auditório Municipal de Lousada)
16 abr
qui
  (Cine Teatro de S. João da Madeira)
21 mar
sáb
  (Praia da Vitória Terceira Açores)
12 dez
sex
até
13
DEZ
SÁB
Tondela  (Auditório 2)
11 dez
qui
Tondela  (Auditório 2)

Circonferências

Interiores III

Para o projecto “interiores” o Trigo Limpo teatro Acert convidou 6 escritores a escreverem textos originais para a criação de 3 espectáculos que, de alguma forma, cruzassem os textos, dois a dois.

No primeiro espectáculo “duas histórias de solidão, duas histórias a sós” foi o cenário e a sua utilização obsessiva que ligou os textos de Eduarda Dionísio e Jaime Rocha; no segundo o entendimento iniciou-se logo na escrita pois o Mia Couto e o Agualusa fabricaram o texto de cada um em total cumplicidade, nascendo o “chovem amores na rua do matador” do cruzamento do masculino e do feminino que eles propunham; a terceira etapa destes interiores partiu dos textos de Hélia Correia e Gonçalo M. Tavares, por coincidência (?) duas conferências que remetem a visão do mundo e do ser humano como habitante desse mundo para um registo que parecerá absurdo numa abordagem inicial mas que posteriormente reconhecemos como irónico.

O nosso desafio consistiu em descobrir a história possível que ligasse os dois textos. O ponto de partida foi o “casal” de conferencistas. Da relação destas duas personagens nasceu a narrativa. O cenário veio unificar o universo que se ia desenhando. Na nossa cabeça apareciam memórias do “ovo da serpente” de Bergman. A representação passou a evidenciar o grotesco de todas situações. Um grito, uma urgência, um entusiasmo excessivo passaram a estar escondidos por trás de tudo o que se dizia e fazia.

“circOnferências” nasce assim da releitura dos textos propostos tornando-os uma conversa com o público de um casal de conferencistas possivelmente militantes do alertar de consciências e do provocar da reflexão (em pelo menos um dos espectadores presentes em cada uma das sessões). O espectáculo é o resultado final, não só da criação teatral realizada a partir dos monólogos, mas também da aprendizagem efectuada nos projectos anteriores. Foram exploradas novas relações dos textos e dos actores com o espaço cénico, com a luz e com o público.

Tentámos também sempre uma abordagem de relacionamento entre as personagens abrindo espaços à interacção. É sobre estes pressupostos que nasce circOnferências. Uma nova maneira de falar dos redondos de que todos somos feitos, de que são feitos os mundos e o universo.

Ficha técnica e artística

Texto a partir de “As Conferências do Sr. Eliot” de Gonçalo M. Tavares e “Dicotomias” de Hélia Correia
Encenação Pompeu José
Interpretação Ilda Teixeira e Pompeu José
Assistência Gil Rodrigues e Sandra Santos
Cenografia Pompeu José e Zé Tavares
Desenho de Luz Luís Viegas
Figurinos Ruy Malheiro
Sonoplastia Cajó Viegas
Operação técnica Paulo Neto
Serralharia Rui Ribeiro
Desenho gráfico Zétavares
Fotografia Carlos Teles e Eduardo Araújo
Registo vídeo Zito Marques
Agradecimentos Sociedade do Caramulo, Graciano Cruz e Seridois