24 mai , 2002
SEX
fora de cena Abraço de Ferro Trigo Limpo teatro ACERT
24 mai , 2002
SEX

fora de cena

Calendarização

24 mai
sex
21:45
Tondela  (Auditório 1, Novo Ciclo ACERT)

Abraço de Ferro

Trigo Limpo teatro ACERT

O novo espectáculo representa mais uma aposta experimental da Companhia, tomando em conta que parte de um convite a um dramaturgo galego – Carlos Santiago - para escrever um texto para dois actores. Todo o processo de trabalho decorrerá em simultâneo com a encenação e a construção dos personagens, resultando a escrita e a dramaturgia de todo o processo de ensaios.

Um espectáculo que fala do interior do teatro e revela os bastidores da criação – as contradições entre os actores; o real e a ficção; o choque de personalidades e de gerações; a importação de modelos, tiques e estereótipos para estar “na onda” e a criação, enquanto processo de “autenticidade” intelectual.

Um espectáculo que representa um forte desafio em termos de trabalho de actor, com um texto que transgride o real, deambulando entre o humor incisivo e o retrato dramático que suporta as contradições humanas.

“ Dois actores, que não se conhecem, são contratados para um espectáculo para o qual não existe nem texto, nem direcção, nem cenografia, apenas alguns objectos e adereços, um figurino e a indicação de que sigam os seus impulsos e digam sempre o que lhes passe pela cabeça. A acção acontece durante o primeiro ensaio. Os dois actores vão utilizando tópicos teatrais distintos (mortes em palco, números de dança e clown, cenas românticas, duelos de esgrima…). Sem um fio narrativo específico, tentam construir o espectáculo com todos os recursos da profissão que conhecem. Porém, cedo percebem que tudo o que fazem em cima do palco é premeditado, como se existisse um texto invisível ou inconsciente que os obriga a actuar de determinada forma. Decididos a actuar com completa liberdade tentam contradizer os seus impulsos, actuando de maneira imprevisível”

Ficha técnica e artística

Factores

actores: José Rosa e Ruy Malheiro

Taumaturgia e acenação
dramaturgia e encenação: Carlos Santiago

Assistência espiritual
assistência de cena: Gil Rodrigues

Invocações musicais
música: Fran Pérez 

Médium artístico
direcção artística: José Rui Martins 

Cenologia e vidência gráfica
Cenografia e desenho gráfico: Zé Tavares

Iluminismo
Iluminação: Luís Viegas

Vídeomância
Vídeo: Tony Rebelo e Zito Marques

Vestimentas
Figurinos: Elena Gómez Canosa

Parafernália cénica
Adereços: Vitor Sá Machado

Técnicologia
Direcção técnica: Luís Viegas e João Paulo Martins

Fotossíntese
Fotos: Carlos Teles

 


Galeria de Imagens