19 MAI
QUI
10:30
em cena A Ilha Desconhecida Espetáculo de teatro a partir de "O Conto da Ilha Desconhecida" de José Saramago Coprodução: Fundação José Saramago e Trigo Limpo teatro ACERT
Classificação
Maiores de 6
Duração
70 minutos
19 MAI
QUI
10:30
Coprodução: Fundação José Saramago e Trigo Limpo teatro ACERT

em cena

co-produção

Centenário de José Saramago

digressão

Classificação
Maiores de 6
Duração
70 minutos

Calendarização

21 mai
sáb
17:00
2022
Coimbra  (Teatrão )
20 mai
sex
14:30
2022
Coimbra  (Teatrão (sessão para público escolar))
20 mai
sex
10:30
2022
Coimbra  (Teatrão (sessão para público escolar))
19 mai
qui
14:30
2022
Coimbra  (Teatrão (sessão para público escolar))
19 mai
qui
10:30
2022
Coimbra  (Teatrão (sessão para público escolar))
30 abr
sáb
21:30
2022
Nelas  (Lapa do Lobo)
25 mar
sex
14:00
2022
Feira  (Biblioteca de Santa Maria da Feira)
25 mar
sex
10:00
2022
Feira  (Biblioteca de Santa Maria da Feira (Público escolar))
16 set
sáb
21:45
2017
Mealhada  (Luso)
31 mar
sex
15:00
2017
Sernancelhe  (Auditório de Sernancelhe)
27 mar
seg
21:45
2017
Tondela  (Auditório 2)
25 mar
sáb
21:45
2017
Tondela  (Auditório 2)
16 nov
qua
18:30
2016
Lisboa  (Fundação José Saramago)
02 out
dom
21:00
2016
Óbidos  (FOLIO - Festival Literário Internacional)
01 out
sáb
21:00
2016
Óbidos  (FOLIO - Festival Literário Internacional)
30 set
sex
21:00
2016
Óbidos  (FOLIO - Festival Literário Internacional)
29 set
qui
21:00
2016
Óbidos  (FOLIO - Festival Literário Internacional)
25 set
dom
21:00
2016
Óbidos  (FOLIO - Festival Literário Internacional)
24 set
sáb
19:30
2016
Óbidos  (FOLIO - Festival Literário Internacional)
23 set
sex
21:00
2016
Óbidos  (FOLIO - Festival Literário Internacional)
22 set
qui
18:00
2016
Óbidos  (FOLIO - Festival Literário Internacional)

A Ilha Desconhecida

Espetáculo de teatro a partir de "O Conto da Ilha Desconhecida" de José Saramago

“Gostar é provavelmente a melhor maneira de ter, ter deve ser a pior maneira de gostar” *

Como é que uma ilha poderá ser a utopia que há em cada um de nós?

Imagine-se um pensamento de uma Mulher da Limpeza: “Se não sais de ti, não chegas a saber quem és”. Imagine-se que um Homem que Queria um Barco sonhou com a Mulher da Limpeza e lhe segredou: “Gostar é provavelmente a melhor maneira de ter, ter deve ser a pior maneira de gostar”. Agora, imagine-se que estamos no lugar deste homem e desta mulher; que temos diante de nós três portas: a dos obséquios, a das petições e a das decisões. Qual delas seremos tentados a abrir?

No seu conto, José Saramago convida-nos a uma viagem em “que é necessário sair da ilha para ver a ilha, que não nos vemos se não saímos de nós”. Habitar teatralmente esta aventura onde a metáfora se espraia na areia das palavras é desafiante. Parabolizar teatral e musicalmente uma narrativa que, sendo complexa, não se pode desligar da singeleza do pensamento que a originou, constitui um desafio artístico aliciante. A palavra teatral e musicada é o roteiro para a construção de personagens oníricas, fantasiosa e poético-amorosas. A música, território de eleição dos intérpretes, pisca o olho sedutor ao argumento, deixando-o fluir encantatoriamente. A cenografia e os figurinos são enxertias de uma só planta.

José Rui Martins

Uma ilha que navega até nós

O maior mistério com que nos confrontamos radica em nós mesmos. Não importa em que condição vivamos, género, idade ou profissão, estamos sempre acompanhados por perguntas inquietantes que parecem não ter resposta. A não ser que embarquemos na aventura de procurar a ilha desconhecida e descubramos que cada um de nós é o maior achado, diferente e poderoso, capaz de romper a monotonia que por vezes parece asfixiar-nos.

José Saramago escreveu um conto sobre o esforço humano quando lhe pediram que reflectisse sobre a utopia. Para ele nada é maior que a consciência activa da nossa personalidade. Activa, claro, porque o contrário seria a letargia e nesse estado ninguém entra no mar, apetrechado de pão, queijo, vinho e azeitonas negras, para ver florescer, no barco que somos, o amor e árvores de frutos. Para esta viagem até nós mesmos também é precisa a força da decisão, a que trazem consigo os criadores do Trigo Limpo Teatro ACERT para inventar oceanos e reis com os materiais mais simples e a poesia mais depurada. E a música: como poderia faltar a música numa viagem de um homem e uma mulher até ao máximo conhecimento e ao maior dos respeitos?

É sobre tudo isto a peça de teatro que a ACERT apresenta e oferece, a história do homem que quer um barco e se encontra com ele mesmo e com o amor possível, numa cerimónia mágica e entranhável que faz aflorar as lágrimas aos espectadores, belos entre contemporâneos que os dignificam na arte. Ninguém deveria perder «A Ilha Desconhecida» porque seria perder-se a si mesmo.

Pilar del Río

O Trigo Limpo teatro ACERT, após ter compartilhado com a Fundação José Saramago a criação do espetáculo teatral de rua A Viagem do Elefante, trilha, em coprodução, mais esta envolvente aventura guiada por o nosso escritor de livros e de sonhos.

* SARAMAGO, José. O Conto da Ilha Desconhecida.

Calendarização

21 mai
sáb
17:00
2022
Coimbra  (Teatrão )
20 mai
sex
14:30
2022
Coimbra  (Teatrão (sessão para público escolar))
20 mai
sex
10:30
2022
Coimbra  (Teatrão (sessão para público escolar))
19 mai
qui
14:30
2022
Coimbra  (Teatrão (sessão para público escolar))
19 mai
qui
10:30
2022
Coimbra  (Teatrão (sessão para público escolar))
30 abr
sáb
21:30
2022
Nelas  (Lapa do Lobo)
25 mar
sex
14:00
2022
Feira  (Biblioteca de Santa Maria da Feira)
25 mar
sex
10:00
2022
Feira  (Biblioteca de Santa Maria da Feira (Público escolar))
16 set
sáb
21:45
2017
Mealhada  (Luso)
31 mar
sex
15:00
2017
Sernancelhe  (Auditório de Sernancelhe)
27 mar
seg
21:45
2017
Tondela  (Auditório 2)
25 mar
sáb
21:45
2017
Tondela  (Auditório 2)
16 nov
qua
18:30
2016
Lisboa  (Fundação José Saramago)
02 out
dom
21:00
2016
Óbidos  (FOLIO - Festival Literário Internacional)
01 out
sáb
21:00
2016
Óbidos  (FOLIO - Festival Literário Internacional)
30 set
sex
21:00
2016
Óbidos  (FOLIO - Festival Literário Internacional)
29 set
qui
21:00
2016
Óbidos  (FOLIO - Festival Literário Internacional)
25 set
dom
21:00
2016
Óbidos  (FOLIO - Festival Literário Internacional)
24 set
sáb
19:30
2016
Óbidos  (FOLIO - Festival Literário Internacional)
23 set
sex
21:00
2016
Óbidos  (FOLIO - Festival Literário Internacional)
22 set
qui
18:00
2016
Óbidos  (FOLIO - Festival Literário Internacional)

Ficha técnica e artística

A partir de “O Conto da Ilha Desconhecida” de José Saramago
Adaptação e encenação: José Rui Martins
Interpretação: Catarina Moura e Luís Pedro Madeira
Pesquisa e coordenação literária: Sérgio Letria e Sara Figueiredo Costa
Música: Luís Pedro Madeira
Desenho de Luz: Paulo Neto
Montagem e operação de luz: Rui Sérgio Henriques
Apoio técnico: Luís Viegas
Cenografia: Zétavares
Figurinos, tapeçaria e adereços: Cláudia Ribeiro (Casa de Figurinos)
Carpintaria de cena: Filipe Simões 

Adereços: Sofia Silva
Costureira: Marlene Rodrigues
Assistente de produção: Joana Cavaleiro
Fotografia: Ricardo Chaves
Apoio à produção: António Gonçalves, João Silva e Marta Costa

Estreado a 22 de setembro de 2016 no FOLIO, Festival Literário Internacional de Óbidos.


Teaser do espetáculo

 

Espetáculo inserido nas comemorações do Centenário de José Saramago (1922-2022)

Comemorações Centenário José Saramgo


Dossier do espetáculo

O espetáculo A Ilha Desconhecida está disponível para digressão, veja aqui todas as informações o sobre o espetáculo.

Contacto telefónico 232814400

E-mail trigolimpo@acert.pt


Galeria de imagens