26 out , 2012
SEX
fora de cena A cor da língua Um espectáculo que constrói pontes entre diversos escritores lusófonos, num carrossel mágico onde as sonoridades rodopiantes se mesclam com a literatura que mais nos seduz.
26 out , 2012
SEX
Um espectáculo que constrói pontes entre diversos escritores lusófonos, num carrossel mágico onde as sonoridades rodopiantes se mesclam com a literatura que mais nos seduz.

fora de cena

Calendarização

26 out
sex
Viseu  (Pq. Aquilino Ribeiro; Viseu)
19 mai
sáb
Mértola  (Festival da Ervas e Chás, Mértola)
28 abr
sáb
Montemor-o-Velho  (40º Anivers. CITEC - Teatro Esther de Carvalho, Montemor-o-Velho)
30 mar
sex
Figueira da Foz  (CAE Figueira da Foz)
09 mar
sex
Oeiras  (Biblioteca Municipal de Oeiras)
15 dez
qui
Viseu  (Auditório da Escola Secundária Alves Martins, em Viseu)
05 out
qua
Águeda  (Festival O Gesto Orelhudo, em Águeda)
25 set
sáb
  (Tenerife, Ilhas Canárias)
01 out
qui
Arouca  (Arouca)
30 jan
sex
Estremoz  (Teatro Bernardim Ribeiro, em Estremoz)
13 dez
sáb
Guarda  (Mêda)
14 nov
sex
até
15
NOV
SÁB
  (JES, Estugarda, Alemanha)
08 nov
sáb
Águeda  (Centro Cultural da LAAC, Aguada de Cima)
09 ago
sáb
  (Teatro Avenida, Maputo, Moçambique)
16 mai
sex
Viseu  (Museu Grão Vasco, em Viseu)
26 abr
sáb
Oliveira de Frades  (Cine-Teatro Dr. Morgado, em Oliveira de Frades)
24 abr
qui
  (Cine-Teatro S. Pedro, em S. Pedro do Sul)
21 abr
seg
Tondela  (Biblioteca Municipal Tomás Ribeiro, em Tondela)
19 abr
sáb
Estarreja  (Cine-Teatro de Estarreja)

A cor da língua

Percorridos
Os quatro CANTOS da terra
E o céu (da boca),
É chegada a altura
De dizer
(alto e bom som):
A COR DA LÍNGUA

Viajar pelos escritores de língua portuguesa, deixando-nos enfeitiçar pela paleta de cores que plasticamente a remodela, tem sido um longo e apetitoso exercício criativo, repleto de cumplicidades múltiplas.
Fomos explorando com gosto as palavras de um idioma sem dono (e por vezes, indomável!), que nos fez navegar pelas falas e obras de autores dos cinco continentes, sempre embalados pela miscigenação dos diferentes ritmos musicais. Tratou-se, acima de tudo, de um desafio artístico deslumbrante, que hoje desejamos projectar em novas rotas (ou não serão… notas?) imaginativas.
Músicas inovadoras ondeiam numa inspiração que transforma a poesia (en)cantada e teatralizada no nosso mar de deslumbramentos. É uma relação de partilha que, de modo ininterrupto, ACORDA em nós uma língua, fazendo com que A CORDA de cada instrumento expressivo adopte como protagonista A COR DA LÍNGUA.
Sons, declamação poética, teatro. São ainda estes os pontos cardeais de um mapa musical único, traçado ao longo das geografias infindáveis dos sentires e dos sentidos. Porém, o itinerário promete agora desdobrar-se noutras paragens (e movimentos!), bem como em momentos de renovada comunicação com o público.

Ficha técnica e artística

Carlos Peninha Coordenação musical, guitarras e voz
José Rui Martins Coordenação teatral, declamação e voz
Luísa Vieira Flauta e voz
Lydia Pinho Arranjos, violoncelo e voz
Miguel Cardoso Arranjos, contra baixo e voz
Rui Lúcio Percussão e Voz
Cajó Viegas e Luís Viegas Som
Luís Viegas e Paulo Neto Desenho de Luz
Zito Marques Vídeo
Ruy Malheiro Figurinos
ZéTavares Cenografia e design gráfico


Galeria de Imagens