22 fev , 2020
SÁB
teatro Ermelinda do Rio Nocturno para voz e concertina As cheias do Tejo, na década de 60, revisitadas na primeira pessoa, num espetáculo onde a memória se confirma sempre presente.
Classificação
Maiores de 12
Duração
55 minutos
Preço

PREÇO: 7,50€ / Associado: 5€ / Descontos: 6 / Desempregado: 2,50€ / Bilhete família disponível

22 fev , 2020
SÁB
As cheias do Tejo, na década de 60, revisitadas na primeira pessoa, num espetáculo onde a memória se confirma sempre presente.

teatro

Classificação
Maiores de 12
Duração
55 minutos
Preço

PREÇO: 7,50€ / Associado: 5€ / Descontos: 6 / Desempregado: 2,50€ / Bilhete família disponível

Calendarização

22 fev
sáb
21:45
Tondela  (Auditório 1)

Ermelinda do Rio

Nocturno para voz e concertina

Nocturno para voz e concertina o subtítulo do testemunho dorido de quem perdeu grande parte da família na maior catástrofe natural em Portugal, desde o Terramoto de 1755. As cheias do Tejo, a 26 de novembro de 1967, no Ribatejo e arredores de Lisboa, serviram de inspiração para João Monge escrever, na primeira pessoa, um poema narrativo pelos olhos de uma menina e de sua mãe, que vivem a tragédia de sobreviver para assistir, impotentes, ao desaparecimento da sua família, de amigos, de conhecidos. E bastou uma noite de chuva como tantas outras para que, de madrugada, o mundo estivesse virado do avesso.
Maria João Luís, naquele dia com 4 anos, é uma dessas pessoas que, juntamente com pai, mãe e irmão, sobreviveram, mas muitos dos seus familiares desapareceram nessa noite. A noite do fim do mundo, como alguém lhe chamou, é ainda uma história mal contada. Ermelinda do Rio é um poema vivido pela atriz, que ela própria encena, numa auto-expiação dos seus fantasmas.

O Teatro da Terra, centro de criação artística, foi fundado em 2009 por Maria João Luís e Pedro Domingos, que se mudaram de Lisboa para Ponte de Sor com uma vontade muito grande de mudar de vida e com um ímpeto gigante de fazerem criação fora de Lisboa. O projeto, apoiado pela DGARTES e fortemente acarinhado pela comunidade local, é também um espaço de acolhimento de vários espetáculos e companhias, contando já com mais de 30 produções.
De uma entrevista de Maria João Luís para a Lux

https://youtu.be/zXi-YkYyk30

BOL - Comprar Bilhetes

Ficha técnica e artística

Texto: João Monge
Encenação: Maria João Luís
Interpretação: Maria João Luís e os músicos ao vivo: Miguel Leiria Pereira, Sofia Pires, Sofia Queiroz Orê-Ibir
Música para três contrabaixos: José Peixoto
Cenografia: José Carretas
Desenho de luz: Pedro Domingos
Assistência de encenação e design gráfico: Clarisse Ricardo
Produção: Rita Costa
Fotografia de cena: Vitorino Coragem
Direção de produção: Pedro Domingos

 

3 perguntas…Maria João Luís

 


Galeria de imagens