conversas ACERT Porque hoje é Abril Com António Brito Guterres, José Sampaio e alunos da Escola Secundária de Tondela 45 anos após a Revolução do 25 de Abril, como as utopias permanecem e se renovam nas novas gerações.
45 anos após a Revolução do 25 de Abril, como as utopias permanecem e se renovam nas novas gerações.

conversas ACERT

Netos de Abril

Comemorações 25 de Abril

gratuito

Preço

Entrada gratuita  

Porque hoje é Abril

Com António Brito Guterres, José Sampaio e alunos da Escola Secundária de Tondela

No âmbito do projeto internacional GetMoving, um projeto Eramus+ coordenado pela Escola Secundária de Tondela, um grupo de alunos apresenta uma espécie de espetáculo que é o resultado de muitas reflexões sobre essa questão fundamental: O que é, afinal, uma utopia?
A partir de um pequeno texto do cineasta Fernado Birri, que Eduardo Galeano partilhou, trilharam-se caminhos diversos que acabaram sempre por conduzir à mesma ideia: a utopia é a nossa distintiva condição e não o nosso pecado.
Serão estas reflexões que nos guiarão uma conversa que não se deseja nostálgica. Serão estes alunos que refrescarão de atualidade valores que não são pertença de qualquer geração, nem aferíveis por padrões circunstanciais.
A partir desta apresentação dos alunos preparada pelo professor João Paulo Fonseca, José Sampaio e António Brito Guterres comentam o tema com base nas suas vivências.

Ficha técnica e artística

José Sampaio, é nosso conterrâneo de Lobão da Beira, aspirante miliciano que, a 25 de Abril, comandava o tanque de guerra EBR 17-20 da coluna de Salgueiro Maia que enfrentou os M47 do regime ditatorial no Terreiro do Paço. Simples e discreto é uma personalidade fascinante pela sua postura cívica, política e social.

António Brito Guterres é um ativista social. Gere e coordena projetos de intervenção e desenvolvimento em diversas instituições e territórios, participando na atividade de associações, umas locais, outras internacionais, para a reflexão e publicitação sobre cidades e urbanismo: participação cívica, commons, regeneração urbana, arte e cultura no desenvolvimento da cidade.