14 dez, 2019
sáb
Nu palco Pompeu José 40 anos de carreira
Preço
Preço: 5€ / Associados: 3€ / Descontos: 4€ / Desempregado: 2,50€
Bilhete de família disponível
14 dez, 2019
sáb

Nu palco

Preço
Preço: 5€ / Associados: 3€ / Descontos: 4€ / Desempregado: 2,50€
Bilhete de família disponível

Calendarização

14 dez
sáb
21:45
Tondela  (Palco do Auditório 1)

Pompeu José

40 anos de carreira

“Pompar” poderia virar verbo no dicionário teatral contemporâneo. A razão é simples: desempenho teatral global de um “bicho carpinteiro” irrequieto, que não consegue parar quieto a fazer uma só função.
Pompeu José [Pompas, para os que lhe são chegados] é esse bicho carpinteiro que aparafusa textos, serra encenações e prega personagens na retina dos espetadores. Quando descobre um sonho teatral, transforma-se em projetor de cinema e projeta nos outros as suas “imagens” da ficção combinadas com construções muitas vezes povoadas de barcos ou pássaros, quiçá sinais proféticos da sua terra do Sado ou desejo contido de atracação de embarcações e gaivotas numa Tondela serrana.
Há 40 anos, iniciou a sua aventura teatral no TAS - Teatro de Animação de Setúbal. Prosseguiu no Teatro o Bando, durante cinco anos, uma viagem por peças marcantes em que foi ator e assistente de encenação e cenografia de João Brites e, em 1993, o Vitória de Setúbal concede-lhe o passe para ingressar na equipa do Clube Desportivo de Tondela, mais propriamente no seu departamento de Artes Cénicas, Trigo Limpo teatro ACERT.
Só uma bonita história de amor poderá revelar os encantos desta diáspora. Uma Musa do Teatro, Carla Torres, nossa Tália do Trigo Limpo, portadora de seduções tamanhas, o fascinou e lhe deu a conhecer os encantos caramulanos e o seu teatro, comprovando as vantagens do “Bacalhau Costa e Sousa ” sobre os “Chocos Fr[r]itos à Moda de Setúbal” ou das andorinhas dos beirais sobre as gaivotas ou os golfinhos do Sado.
Mas não se julgue que o teatro é a única arte que domina este nosso Pompeu. Na música, foi o mentor do grupo Pobres de Espírito, banda que foi boicotada comercialmente pelas editoras portuguesas por falta de etiqueta de catalogação do seu género musical a que imprimiu cunho de “concertinista” e de “gaita folista”. O projeto, gravado no Fojo’Abbey Road, cedo ganhou notoriedade no circuito underground das noites serranas, sendo ainda hoje habitual escutarem-se coros de multidões a entoar pelas noites “a cola de contacto, a cola de contacto… é uma grande pedra“.
Também nas artes plásticas, Pompeu José criou um estilo único, Atas’Pictorikas, traduzido por linhas de arrasto de esferográfica azul em movimentos ziguezagueantes que representam assuntos em discussão em reuniões — ora eufóricas, ora azedas.
Pompeu José são 40 anos a carpinteirar teatro na companhia de todos os que entusiasma e atrai para a sua embarcação povoada de imagens sedutoras.
Este NU PALCO é celebração de 40 anos dum acertino apascentador de deslumbrantes ilusões e maravilhas.