30 abr , 2016
SÁB
teatro Ausência Teatro O Bando Esperança, viajantes, lembrança, refugiados e emigração as premissas para esta criação poética politicamente implicada
Classificação
Maiores de 6
Duração
55 minutos
Preço

7,50€ / Associado: 5€ / Descontos: 6€ / Desempregado: 2,50€ / Bilhete família disponível

30 abr , 2016
SÁB
Esperança, viajantes, lembrança, refugiados e emigração as premissas para esta criação poética politicamente implicada

teatro

Classificação
Maiores de 6
Duração
55 minutos
Preço

7,50€ / Associado: 5€ / Descontos: 6€ / Desempregado: 2,50€ / Bilhete família disponível

Calendarização

30 abr
sáb
21:45
  (Auditório 1)
29 abr
sex
14:30
  (Auditório 1 (Público escolar))
29 abr
sex
10:30
  (Auditório 1 (Público escolar))
28 abr
qui
14:30
  (Auditório 1 (Público escolar))

Ausência

Teatro O Bando

Um viajante, cheio de ausência, procura um novo território.

Sem olhar para trás, movido pela lembrança e pela esperança, percorre lugares com muitos dias e muitas noites, sem saber para onde vai.

Se a boca fala, as pernas andam, os ouvidos escutam, os olhos vêem e os braços mexem, de que é feita esta ausência? Um caminhante com a certeza de todas as dúvidas, sem verdades absolutas nem direções cegas, persegue um horizonte sem limites, um futuro sem fronteiras de pedra.

Integrada no projeto internacional DOCUMENTS OF POVERTY AND HOPE, que pretende refletir sobre as rotas de emigração entre diferentes países (Austrália, Canadá, Itália, Portugal e Reino Unido), Ausência é a nova criação do Bando dirigida à infância e juventude, uma coprodução com a companhia Dynamo Théâtre (Montreal-Canadá.)

Com direção de Nicolas Brites, cocriação de Jaqueline Gosselin - encenadora canadiana com vasta experiência na linguagem de teatro físico ligado às artes circenses - cenografia de João Brites e música de Jorge Salgueiro, pretendemos que Ausência partilhe histórias de êxodos e despedidas, de desaparecimentos e retornos.

O texto de João Neca tem nas palavras esperança, viajantes, lembrança, refugiados e emigração as premissas para esta criação poética e politicamente implicada.

Em cena, os timoneiros da narrativa teatral, serão João Neca e Raul Atalaia.

Ficha técnica e artística

Texto: João Neca
Encenação: Nicolas Brites
Cocriação: Jacqueline Gosselin
Cenografia: João Brites
Música: Jorge Salgueiro
Figurinos e adereços: Clara Bento
Apoio à cenografia: Fátima Santos
Desenho de luz: Guilherme Noronha
Com João Neca e Raul Atalaia
Criação Teatro O Bando
Co-produção Dynamo Théâtre (Montreal-Canada )
No âmbito do projeto iternacional documents of poverty and hope