04 dez , 2015
SEX
teatro A caminhada dos elefantes Miguel Fragata e Inês Barahona A morte e a efemeridade num espetáculo para crianças que é, no fundo, para toda a gente
Classificação
Maiores de 4
Duração
50 minutos
Preço

5 / 7,5

04 dez , 2015
SEX
A morte e a efemeridade num espetáculo para crianças que é, no fundo, para toda a gente

teatro

Classificação
Maiores de 4
Duração
50 minutos
Preço

5 / 7,5

Calendarização

04 dez
sex
  (Auditório 2)
04 dez
sex
  (Auditório 2)

A caminhada dos elefantes

Miguel Fragata e Inês Barahona


O regresso a casa de um ator que deixou sinais afetivos e artísticos no espetáculo Materna Doçura, do Trigo Limpo teatro ACERT.

Este espetáculo conta a história de um homem e de uma manada de elefantes. Quando o homem morre, os elefantes fazem uma caminhada misteriosa a sua casa, para lhe prestar uma última homenagem: não era um homem qualquer, era um deles.
A Caminhada dos Elefantes é sobre a existência, a vida e a morte, e o caminho que todos temos de fazer, um dia, para nos despedirmos de alguém.
Um espetáculo que reflete sobre o fim, que é um mistério para todos nós, crianças ou adultos.

Ficha técnica e artística

Conceção, Dramaturgia e Encenação: Miguel Fragata e Inês Barahona
Interpretação: Miguel Fragata
Cenografia e Figurinos: Maria João Castelo
Música: Fernando Mota
Luz: José Álvaro Correia
Produção: Formiga Atómica
Técnica e Operação de Luz: Pedro Machado
Operação de Som: Inês Barahona
Apoio à Dramaturgia na Vertente da Psicologia Infantil: Madalena Paiva Gomes
Apoio à Dramaturgia na Vertente da Pedagogia: Elvira Leite
Consultoria Artística: Giacomo Scalisi, Catarina Requeijo e Isabel Minhós Martins
Imagem do Cartaz: UVA Atelier
Fotografia de Cena: Susana Paiva
Vídeo de Cena: Maria Remédio