19 abr , 2003
SÁB
judas Queima e Rebentamento do Judas - 2003 Queima e Rebentamento do Judas
19 abr , 2003
SÁB

judas

fora de cena

Calendarização

19 abr
sáb
23:00
Tondela  (Escola EB2/3 de Tondela)

Queima e Rebentamento do Judas - 2003

Queima e Rebentamento do Judas

A Queima e Rebentamento do Judas era, em Tondela como em quase todo o país, uma tradição fortemente enraizada na memória popular, mas que em 1985 começava a ter o seu prosseguimento posto em causa. A partir desse ano o Trigo limpo teatro ACERT passou a organizar o evento e iniciou um processo de transformação do mesmo.

Aquilo que era, à época, apenas um festival de fogo de artíficio começou a transformar-se num espectáculo teatral comunitário.

O envolvimento de centenas de pessoas na construção de todo o material necessário a uma apresentação única é já por si parte integrante do espectáculo.

Tudo começa com uma ideia que serve de guião, compõem-se músicas originais e idealiza-se o boneco que servirá de traidor. Esta Queima do Judas tem como pontos fortes da dramaturgia: o desemprego, o problema dos nitrofuranos nos frangos de Tondela, o desastre do Prestige e a guerra no Iraque.

Depois, juntam-se mais de uma centena de pessoas durante uma semana. Deita-se mãos à obra: ensaiam-se os textos das acusações, os movimentos de conjunto, as marcações, as músicas. O judas é feito com a ajuda de muitas mãos, a cenografia ergue-se para conter todos os efeitos necessários para a noite, os figurinos crescem para vestir os personagens, o plano de luz e som é posto em marcha e a imagem gráfica é posta a circular na rua. Ultimam-se os preparativos para acolher os milhares de espectadores que fazem também parte deste ritual.

No final do espectáculo, em poucos minutos, tudo arde, menos a memória de se ter queimado, com acusações, o “cafajeste” que personifica todos os males que nos atormentam. O que é dito nas entrelinhas, cada um leva para casa o que achar mais conveniente para não rebentar.

“Tondela queimou os “males traidores” da sociedade – (...) o grito de mais de duas dezenas de galináceos, exigindo medidas de um poder instalado em cima de um polvo gigante com cerca de sete metros de altura, fez furor entre as centenas de pessoas que, anteontem à noite, assistiram à encenação da Queima do Judas.”
In Público de 21/04/2003

Ficha técnica e artística

Coordenação Dramaturgica e Musical Fran Pérez, Marcos Teira e Pepe Séndon
Coordenação Geral Pompeu José
Musica Fran Pérez, Marcos Teira e Pepe Séndon
Direcção Musical Fran Pérez
Músicos Carlos Peninha, Fran Pérez, Marcos Teira, Miguel Cardoso, Pepe Séndon e Rui Silva
Coro Alexandra Vale, Borja Fernandes, Catarina Estrela, Gil Rodrigues, Hugo Torres, Isabel Videira, José Rosa, Luís Paz, Marta Pazos e Teresa Ferreira
Mestre de Cerimónias Miguel Torres
Coordenação Grupos Carlos Santiago, Ilda Teixeira, Maria Simões,Ruy Malheiro e Sandra Santos
Figurinos José Rosa Neves
Coordenação de Adereços e Construção cenográfica Ana Rita, Elizabete Oliveira, Luís Paz, Pompeu José e Yann Thual
Equipa Montagem André Cunha, António Seixas, Cajó, Filipe Jesus, João Arede, João Paulo Martins, Luís Viegas, Miguel Torres, Paulo Neto, Pompeu José, Rui Ribeiro, Sílvio Neves e Zito Marques
Técnica João Paulo Martins, Luís Viegas, Paulo Neto, Zito Marques e Backstage.
Pirotecnia Trigo Limpo Teatro ACERT e Pirotecnia Lafões
Coordenação Pirotecnia Luis Viegas
Lançadores de fogo Pompeu José, Luis Viegas, Paulo Neto, Miguel Torres e Rui Ribeiro
Grafismo José Tavares
Secretariado e Produção Carla Torres, Irene Pais, Marta Costa, Paula Pereira e Rui Vale
Agradecimentos Escola EB23 de Tondela e Tondelgráfica

Adriana Ventura, Alexandra Matos, Alexandra Vale, Alice Estrela , Ana Borges , Ana Loureiro, Ana Lúcia Andrade, Ana Rita Martins, Ana Rita Carvalho, Ana Sofia Almiro, Ana Valentim, Anais Vachier, André Cunha, Andreia Martins, Angela Marques, António da Costa, Borja Rodrigues, Bruno Antunes, Cajó, Carina Jesus, Carla Duarte, Carla Figueiredo, Carla Henriques, Carla Matos, Carlos Peninha, Carlos Santiago, Carlos Silva, Catarina Estrela, Catarina Santos, Cátia Viegas, Cláudia Arede, Claudia Figueiredo, Claudio Alves, Claudio Lima, Cristina Costa, Cristina Nunes , Cristina Santos, Daniela Teixeira, Efigénia Arede, Elizabete Oliveira, Elsa Santos, Fabio Simões, Filipa Nunes, Filipe Jesus, Fran Perez, Gil Rodrigues, Gustavo Antunes, Gustavo Arede, Helga Costa, Hugo Aparicio, Hugo Torres , Ilda Teixeira, Inês Pereira, Inês Rodrigues, Irene Marques, Jacinta Pinto, Joana Matos, Joana Viegas , Joana Cabral, Joana Henriques, Joana Rocha, João Arede, João Marques, João Paulo Martins, João Ribeiro, João Xisto, José Abreu, José Manuel Coelho, José Rosa Neves, José Rui Martins, José Seixas, Juliana Rebelo, Lilia Almeida, Luis Paz, Luis Viegas, Luísa Figueiredo, Mafalda Matos, Marcia Gomes, Marcos Teira, Maria Figueiredo, Maria Simões, Maria Videira, Markus Bueter, Marta Marques, Marta Pereira, Marta Antunes, Marta Pazos , Miguel Cardoso, Miguel Torres, Mónica Coimbra, Natasha Varela, Nuno Jesus, Orlando Henriques, Paula Simões, Paulo Neto, Pedro Almiro, Pedro Ferreira, Pedro Marques, Pedro Pinto, Pedro Vasconcelos, Pepe Sendon, Pompeu, Rainer Kamphus, Raquel Gonçalves, Raquel Silva, Raquel Viegas, Rita Figueiredo, Rosa Maria Soares, Rosa Soares, Rui Ribeiro, Rui Silva, Rute Lourinho, Ruy Malheiro, Sandra Santos, Sara Ferreira , Silas, Silvia Coimbra, Sofia Neves, Sofia Raquel Brás, Sofia Teixeira, Sónia Brás, Suzanna Matos, Teresa Ferreira, Tiago Matos, Vitor Malheiro, Yann Thual, Zé Tavares.

Pedimos desculpa a todas as pessoas omissas nesta lista cujo encerramento para gráfica se deu antes do terminus das actividades.